Brincadeira Literária



Essa brincadeira literária foi criada pela Náh do Blog Ler, Dormir, Comer... e consiste em falar sobre o primeiro livro lido. Eu achei a idéia ótima, porque nos permite fazer uma viajem no tempo, testando nossa memória e nos divertido relembrando o inicio da nossa epopéia literária. 
Então o primeiro livro que lembro ter lido, excluindo os livrinhos de contos de fada claro, foi O Menino do dedo verde de Maurice Druon.

Segue capa e sinopse:
Era uma vez Tistu...Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo.
"O Menino do Dedo Verde", de Maurice Druon, tornou-se um clássico da literatura para crianças e jovens em todo o mundo e permanece atual há três décadas, sendo adotado em escolas do Ensino Fundamental todos os anos. Esta fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; e foi pioneira ao abordar o tema ecologia.

Eu não me lembro muito bem de toda a historia do livro, mas, consigo me lembrar da  mensagem de paz e ecologia que o livro traz. Eu, assim como o Tistu, não entendia como  as pessoas podiam causar tanto mal, como nas guerras, quando era tão mais fácil  e mais feliz viver em paz, harmonia e liberdade. Pensar sobre a maldade humana já é um grande feito para qualquer pessoa, para uma menina de apenas 12 anos é bem marcante.  
A forma como eu consegui o livro também foi interessante, e merece ser contada. Como eu já disse tinha 12 anos naquela época, estava na 6ª serie,  e até então não tinha contato com livros literários, meus pais nunca foram grandes leitores por isso não tinha livro em casa além dos didáticos. Um dia, a professora de português nos explicou e incentivou a fazer uma carteirinha na biblioteca, acreditem eu não sabia que a biblioteca emprestava livros, na escola que estudava não tinha, e nem sabia onde ficava a biblioteca municipal. Então, numa aventura emocionante e reveladora, eu e mais duas amigas da mesma serie (que sabiam onde ficava a biblioteca, é claro) atravessamos a cidade, andamos cerca de 3 km (50 mim de caminhada se não me engano) e chegamos na Biblioteca Municipal ohhhhhh. Quando entrei e vi tantos livros  de assuntos variados  reunidos no mesmo lugar, (na verdade a biblioteca da minha cidade deixa muito a desejar, mas,  era a unica que conhecia mesmo então pra mim era incrível, me senti como criança em sorveteria, não sabia o que ler primeiro, queria conhecer tudo. Desde então, a cada 15 dias atravessava a cidade pra buscar livros, no inicio eu ia com  as minhas amigas, mas elas não eram tão animadas pra caminhar ou ler, e passei a ir sozinha e a busca pelos livros que,  na verdade é a busca de conhecimento pois é isso que os livros nos trazem de alguma forma ou de todas elas, se tornou fundamental na minha vida ( hoje já estou começando a desconfiar que é um vicio).
Ai, Ai é bom viajar nas recordações, lembrar  da curiosidade, dos sonhos e esperanças de menina e perceber que os livros fizeram parte de tudo isso...
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Nossa! Não sabia da existência desse livrinho! Que legal! Adorei sua resenha!
    Já postei o link da sua resenha no blog... Passa lá depois e confira a resenha dos outros participantes!
    Beijos,
    NÁH

    ResponderExcluir
  2. Esse foi dos livrinhos da minha infância! Minha mãe me deu de presente e li ele várias vezes durante minha infância e adolescência. Sempre entendia mais as nuances da história. Muito legal!

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página