Trecho de Terça#6



Esse meme criado pelo  blog Me, MyShelf and I, em que  toda terça-feira tenho que postar um trecho legal do livro que estou lendo. 

O trecho de  hoje foi tirado do conto O Cascalho da Ladeira da Memoria, esse e outros contos estão no  livro Coisas Frágeis, do genial Neil Gaiman.

"... A realidade, no entanto, não vem em forma de história, e as erupções do estranho em nossas vidas tampouco vem assim. Elas não terminam de forma totalmente satisfatória. Relatar algo estranho é como contar os próprios sonhos: você pode comunicar os fatos de um sonho, mas não seu conteúdo emocional, o modo como um sonho pode dar cor a todo seu dia."












Novidades e informações

Já perceberam que nos últimos anos se uma serie de livros faz sucesso logo vira filme ou serie de tv? Claro que é uma ótima alternativa, onde encontrar melhores idéias ou um publico mais fiel do que no universo literário. Apesar do risco que corremos de ver o nosso livro favorito destruído por uma péssima adaptação para as tela, acho que é uma chance interessante de prolongar a história que gostamos. Quer melhor exemplo melhor do que Harry Potter, o ultimo livro já foi lançado faz tempo, mas, os fãs não ficaram tão deprimidos porque ainda tinham filmes  de HP para estrear. E, exemplos são que não faltam, em filmes temos a saga Crepusculo, As cronicas de Narnia, O Ladrão de Raios, Aprendiz de Vampiro, e mais recentemente, Eu Sou o Numero Quatro, e A Garota da capa vermelha. No mundo das series de tv temos, Gissip Girl, Diários de Vampiros, e  Pretty Little Liars. 

Seguindo essa idéia  tem duas novas series, os livros delas não foram lançados no Brasil por isso muitas pessoas não leram (como eu), as histórias  parecem interessantes e pretendo ver. Então deixou como indicação para quem gosta de se distrair assistindo séries.

Chloe King está planejando celebrar o seu aniversário com seus amigos e mãe solteira, como todos os anos. Isto até ela começar a desenvolver algumas habilidades e descobrir que ela está sendo perseguida por uma figura misteriosa.Chloe logo descobre que ela é parte de uma corrida antiga que tem sido caçada por assassinos humanos por milênios – e ela pode ser a sua última chance de sobreviver.
Fã site brasileiro da série The Nine Lives of Chloe King  aqui.

A história gira em torno de Cassie, uma tímida garota de dezesseis anos de idade, que descobre que ela é uma bruxa e se torna um membro do Círculo das bruxas de New Salem. Ela deve enfrentar o ódio de Faye, uma das bruxas; sua nova lealdade para Diana, sua melhor amiga e líder do Círculo, e seu amor por Adam, namorado de Diana. 
Fã site brasileiro da série The Secret Circle  aqui.


Jogos Vorazes- Suzanne Collins

Li muitas resenhas sobre a trilogia Jogos Vorazes da escritora norte-americana Suzanne Collins, e 99,9% das opiniões diziam que esse livro é ótimo. Mesmo com tantas criticas positivas eu coloquei ele no fim da minha lista de leitura, e só fui ler agora depois que a febre Jogos Vorazes já se acalmou. O principal motivo de ter adiado a leitura foi porque ao ler a sinopse e ver do que se tratava a história imaginei logo muito drama e violência. E como me envolvo muito com o que leio precisava estar preparada emocionalmente para apreciar esse livro. Vou tentar resumir minha experiencia em ler Jogos Vorazes, o que não é uma missão fácil, existem livros que são difíceis de explicar, esse é um deles.



Em Jogos Vorazes o mundo como conhecemos já não existe mais, a America do Norte se tornou Panem, uma nação dividida em 12 distritos e comandada pela Capital. Cada distrito  tem sua utilidade para a nação em geral, e também devem seguir regras rígidas para manter a ordem e o domínio da Capital, traduzam isso como ditadura. A própria história da civilização nos ensina como governos ditatórias agem, dominando os fracos, calando a oposição e explorando os inocentes. É essa antiga forma de controle e poder  que Suzanne Collins recria de maneira inteligente e bem pensada no livro. Então, como se já não bastasse a miséria e o sofrimento que boa parte da nação passa, a Capital criou os Jogos Vorazes com objetivo de se impor ainda mais sobre os distritos.Todo ano dois jovens de cada distrito, com idade entre 12 a 18 anos, são  escolhido através de sorteio para competir entre si, eles são chamados de tributos. Os jovens são deixados em uma lugar isolado e sem regras, onde o ultimo que ficar vivo vence.

 E é isso que são os Jogos Vorazes, uma competição mortal entre jovens inocentes assistida por toda a nação como se fosse um reality Show. Essa é uma parte que realmente me indignou, como pode as pessoas aceitarem uma coisa como essa, ver todo ano 24 jovens saírem de seus distritos para morrer nos jogos, porque eles sabem que no final somente um deles vai voltar. O que é pior toda a nação assisti ao vivo, torce, faz apostas, como se fosse um jogo de futebol ao invés de pessoas inocentes morrendo por nada. Certo, as pessoas dos distritos tem medo da Capital, e no passado o distrito 13 tentou uma revolução que obviamente não deu certo já que o distrito nem existe mais. Mas, mesmo assim, é difícil de imaginar essa aceitação que o povo tem dos atos da Capital. Claro estamos falando de uma ficção, só que enquanto eu lia não podia parar de pensar e se tudo isso acontecesse com a gente, e se esse realmente fosse o futuro mesmo, nós fingiríamos que está tudo bem e todo ano assistiríamos nosso parente, amigo ou vizinho morrer sem fazer nada? 

Tudo bem, abandonando as divagações e voltando para a história.O Distrito 12 explora o carvão, é o mais pobre de todos os distritos, onde muitas pessoas passam fome e por sua qualidade de vida precária morrem antes de chegar a velhice. É desse distrito que vem a protagonista do livro, Katniss, ela tem dezesseis anos mora com a mãe e a irmãzinha. Dês de que o pai morreu, é ela que sustenta a família, com conhecimento sobre caça, e muita habilidade no arco e flecha não deixa faltar comida em casa. Quando chega o grande dia em que os Tributos serão escolhidos, contrariando todas as possibilidades Prim, a irmãzinha de doze anos de Katniss é escolhida. Para salvar a irmã ela se voluntaria para ir no lugar de Prim, e juntamente com Peeta que o outro tributo do distrito 12,  vai participar dos Jogos Vorazes.

Katniss é uma sobrevivente,  corajosa, determinada, e consegue manter o sangue frio em diversas situações difíceis. Só que os desafios dos Jogos vão muito alem do que se imagina. Tem lutas, fugas, e armadilhas, como deve ser com pessoas tentando o possível para ficaram vivas, nessa parte tenho que dizer achava que teria mais violência e brutalidade  já que o negocio nesse jogo é mate ou morra. E, claro tem toda a questão psicológica, sobre o certo e errado, e qual é o limite para cumprir o objetivo, porque no final de tudo são pessoas matando outras pessoas porque alguém determinou isso.

Já chega da história, tem muita coisa que eu quero contar, afinal o livro tem 400 paginas, mas vou acabar soltando alguns spoilers e não quero estragar a leitura de ninguém. Esse livro é diferente de todos os outros que tenho lido ultimante, não tem seres sobrenaturais, e também não segue aquela velha formula mocinha indefesa e confusa com mocinho forte e misterioso.Tem um romance só que não é prioridade. É diferente porque traz personagens simples envolvidas em um contexto social problemático. Nos faz torcer pela Katniss é claro, ficamos apreensivos com cada novo acontecimento, mas, em nenhum momento da narrativa esquecemos o motivo dela estar enfrentando essas situações, nem toda a ação dentro da arena obscurece a verdade de que o real problema são os erros da sociedade.

Desculpem se a resenha ficou muito grande, mas eu gostei tanto desse livro, da história, dos personagens, da escrita da autora. Gostei de tudo, é um dos melhores livros que já li. Até já estou com a continuação, Em Chamas, para ler, e com grande expectativas, assim como Jogos Vorazes o segundo livro tem ótimas criticas. Enfim, se você, assim como eu colocou esse livro lá no fim da lista de leitura ou não deu atenção achando que era mais uma modinha literária e ainda não leu, eu recomendo que reconsidere e leia vale muito a pena.    

Música da Semana

O Foo Fighters é uma das minhas bandas preferidas do momento. Adoro todas as musicas e foi difícil escolher uma. Me decidi por  Walk  porque, além da musica ser ótima, a letra é perfeita, vocês podem conferir na tradução.






Walk (Andar)
A milhares de quilômetros de distância
O seu sinal ao longe
Para quem possa interessar

Acho que me perdi
Estou ficando bom nesse negócio de recomeçar do zero
Toda vez que eu volto

Estou aprendendo a andar de novo
Acredito que esperei tempo demais
Por onde devo começar?

Estou aprendendo a falar de novo
Você não vê que já esperei tempo bastante?
Por onde devo começar?

Você se lembra dos dias
Em que fizemos montanhas de papel e ficamos vendo-as queimar?
Acho que encontrei meu lugar
Você não sente a sensação ficando mais forte?
Pequenos conquistadores

Estou aprendendo a andar de novo
Acredito que esperei tempo demais
Por onde devo começar?

Estou aprendendo a falar de novo
Eu acredito que já esperei tempo bastante?
Por onde devo começar?

Agora
Pela primeira vez
Não ouse prestar atenção
Liberte-me de novo
Você dá vida a um momento por vez
Que permanece quieto dentro do suspiro de um mentiroso
Sacrificar sabendo sobreviver
O primeiro a escalar outro estado de espírito
Estou de joelhos, rezando por um sinal
Sempre, a qualquer momento, eu não quero morrer nunca

Eu não quero morrer nunca, eu não quero morrer nunca
Estou de joelhos, eu não quero morrer nunca
Estou dançando na minha cova, correndo pelo fogo
Sempre, a qualquer momento, eu não quero morrer nunca
Eu não quero partir jamais, eu nunca direi adeus
Sempre, a qualquer momento, sempre, a qualquer momento

Estou aprendendo a andar de novo
Acredito que esperei tempo demais
Por onde devo começar?

Estou aprendendo a falar de novo
Você não vê que já esperei tempo bastante?
Por onde devo começar?

Estou aprendendo a andar de novo
Acredito que esperei tempo demais

Estou aprendendo a falar de novo
Você não vê que já esperei tempo bastante?








Tradução retirado do site Vagalume


Algumas considerações...

Como vocês podem ver mudei o plano de fundo outra vez. Acho que um fundo escuro vai contrastar melhor com as imagens que eu colocar no blog, ou talvez seja só porque o preto e o roxo são minhas cores favoritas. Certo. Para os fãs de Harry Potter que esperam ansiosamente a estreia do oitavo e ultimo filme da serie (não gosto nem de pensar nisso, me dá uma tristeza) coloquei esse contador  de tempo para Harry Potter e As Reliquias da Morte 2 que encontrei nesse site Potterrish.
Também quero dizer que estou lendo bastante nessas ultimas semanas, e por isso andei deixado as resenhas de lado. Pretendo mudar isso logo. E, a ultima consideração, estou ressuscitando a partir de hoje algumas seções do blog que ficaram esquecidas, como o Trecho de Terça, Capas de livro e a Musica da semana. Então em uma tentativa desesperada (drama) de me organizar e não esquecer mais nada crie uma agenda para postagens no blog:

  • Segunda- feira é dia de Novidades e informações do mundo literário,
  • Terça-feira (adivinha) vai ser o Trecho de terça,
  • Quarta- Feira vai ser capas de livros,
  • Sexta- feira é dia de Musica da Semana, vou tentar diversificar e não por só Rock, mas, vai ser difícil,
  • E nos outros dias da semana vão ser postado as resenha. Tem muitos livros que li esse ano e estou querendo comentar aqui no blog.



A Terra Das Sombras - Serie A Mediadora

As minhas lituras do mês de maio foram completamente dominadas por Meg Cabot. Sempre li criticas muito positivas sobre os livros dela, mas, nunca dediquei muita atenção. Mês passado decidi abandonar anjos e vampiros por um tempo, então lembrei que nunca tinha lido um livro com fantasmas como tema principal da história. Logo, a serie A Mediadora parecia uma ótima opção. 


Sinopse: 
Suzannah é uma adolescente aparentemente comum que tem um problema com construções antigas. Não é para menos. Afinal, muitas dessas casas velhas são assombradas. E Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de ver e falar com fantasmas para ajudá-los a descansar em paz. É claro que esse dom lhe traz muitos problemas. Mas nem ela poderia saber a gravidade do que encontraria ao mudar-se para Califórnia. 




Quando era criança Suzannah descobriu que podia se comunicar com os fantasmas. Desde então ela tenta ajuda-los a passar para o próximo nível. Se eles vão para o céu, inferno ou reencarnação ela não sabe e nem se importa, tudo que sabe é que se não ajudar os fantasmas continuam incomodando. Suzannah é uma mediadora, um trabalho difícil que não tem remuneração ou reconhecimento, já que o dom dela é um segredo. Para se livrar dos fantasmas ela usa todas as táticas até a violência se for preciso. 

Ser uma mediadora vez com que Suzannah se metesse em muitas confusões, e ganhasse fama de esquisita. Agora aos dezesseis anos, ela tem a chace de recomeçar já que sua mãe se casou novamente e mudou de cidade para morar com o marido e os três filhos dele. Tudo o que Suzannah quer é fazer amigos na nova escola, ir em algumas festas e encontrar um namorado, e todo o tipo de objetivos normais de uma adolescente. Mas, sendo uma mediadora ela não pode ignorar os fantasmas que estão ao seu redor. Principalmente quando se tem um fantasma super fofo em seu quarto, e uma fantasma homicida na escola.

A história é super simples não há um grande mistério ou surpresas, basicamente é uma garota que pode ver e se comunicar com fantasmas e por isso se mete em confusões. Então qual é o diferencial que torna esse livro tão lido e apreciado? Na minha opinião, é a escrita de Meg Cabot. A escritora conseguiu criar uma narrativa leve e engraçada, onde até mesmo as longas e detalhadas descrições são ótimas. Ela entende o universo adolescente e sabe transmitir isso, principalmente na criação de seus personagens. A Suzannah é uma ótima protagonista, o que é essencial já que ela narra o livro, que não tem nada de boba ou boazinha, ela é cheia de defeitos, impaciente, briguenta, imprudente, e orgulhosa. Mas, também é esperta, engraçada, e os comentários e divagações dela são as partes mais divertidas do livro. 

A Mediadora é o tipo de serie que não conseguimos parar de ler até acabar o ultimo livro. E não porque se espera o grande final, como parar o apocalipse e coisa tal. Não dá para parar de ler essa serie porque a história é leve e divertida, e a leitura flui tão bem que quando agente percebe o livro já acabou e temos que partir para o próximo. E foi assim que li os seis livros da serie em uma semana, e Meg Cabot definitivamente me conquistou.

Penelope- Marylyn Kaye




Sinopse:

Em um conto de fadas moderno, nós conhecemos Penelope, uma jovem de 25 anos que passou a vida inteira presa em sua própria casa, vítima de uma antiga maldição. Para se livrar do focinho de porco que cresce no lugar do seu nariz, ela precisa encontrar alguém que a ame mesmo com esse "pequeno" problema.


Penélope vem de uma familia nobre e muito rica. Só que além do dinheiro e prestigio ela herdou também uma maldição. Há muito tempo atrás, um antepassado preferiu o dinheiro ao amor e por isso uma bruxa amaldiçoou toda a familia do cara, segundo ela a primeira menina que nascesse teria um focinho de porco que só desapareceria quando alguém de sangue nobre a amasse. Seja por azar ou destino Penélope é essa garota, e sim, ela tem um focinho de porco.

Por causa de sua aparecia os pais dela a escondem do mundo, fazendo Penélope se tornar uma prisioneira na própria casa. Enquanto sua mãe faz de tudo para achar um marido de sangue nobre para filha, afim de quebra a maldição. Penélope detesta a situação de não poder conhecer o mundo com seus próprios olhos, e detesta mais ainda as intermináveis estrevistas com os homens que fugiam sempre que viam seu rosto. 

Ela já não tinha espera de que conheceria a pessoa certa, mas, também não tinha coragem de desafiar a mãe e mudar de vida. Até que um dos candidatos conta para ela sobre as maravilhas do mundo fora dos muros da mansão. Penélope então decidi que já é hora de parar de se lamentar com aquilo que não  pode mudar, e começar a viver de verdade. Nessa buscar por conhecer o mundo a mocinha acaba conhecendo mais sobre si mesma.

Nesse romance não tem  príncipes, princesas, ou fadas, só uma maldição.  todos os personagens tem defeitos e tentam levar a vida do jeito que pensam ser o melhor. O que torna essa história um verdadeiro conto-de-fadas e a lição que a mocinha aprende no final. A leitura é muito agradavel, sensivel, e com  momentos engraçados, vale a pena ler. 

Wake- Despertar

Deixando de lado vampiros, anjos e afins, mas, sem sair completamente do tema sobrenatural temos a serie Wake de Lisa McMann, que viaja no mundo dos sonhos, ou seriam pesadelos.



Sinopse:
Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal. Janie não pode contar a ninguém sobre o que acontece com ela - eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar. Mas, de repente, Janie acaba presa dentro de um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela deixa de ser expectadora e se torna uma participante.

Esse livro me surpreendeu bastante.  Ao ler a sinopse pensei que era mais uma história com elementos sobrenaturais do tipo, menina confusa com poderes desconhecidos que descobre que uma bruxa, anjo, fada ou coisa assim. Mas, wake não tem nada disso. Janie realmente tem uma estranha e incomum habilidade  de entrar nos sonhos das outras pessoas. Ela não tem escolha, basta alguem dormir e sonhar perto dela e a Janie é puxada para esse sonho. Isso atormenta a vida dela, que por si só já não é fácil. Filha de pai desconhecido e tendo uma mãe alcoólatra, a garota teve que se tornar responsável muito cedo, trabalhando, estudando, e tentando ficar longe de pessoas dormindo. 

Janie não tem um mestre para orienta-la na arte de invadir sonhos dos outros. Ela está completamente sozinha, carregado o peso desse segredo e de uma vida bem difícil para uma adolescente de dezessete anos. O que eu gosto na Janie é que apesar de todos os problemas ela não se faz de vitima ou coitadinha, sabe que tem que seguir em frete pelo seu próprio esforço. Por isso ela trabalha economiza dinheiro para ir a faculdade. Em meio há tantas dificuldades, ela conhece Cabel, um cara que parece ser capaz de aceitar essa  estranha habilidade dela, motivando Janie a conhecer mais sobre si mesma. Porem, como eu já falei, a vida dessa garota não é fácil, e Cabel talvez não seja quem ela pensou que fosse .

O livro é bem pequeno, e não se aprofunda muito em detalhes. Os personagens secundários são quase inexistentes, a história gira em torno da Janie e sua relação com o mundo e si mesma. A autora tem uma maneira diferente de escrever, ela  escreve muitas frases curtas, acho que deve ser para dar mais efeito a algumas situações. Achei interessante que ela  coloca data e hora constantemente, assim nós temos noção em que Janie fica preza nos sonhos. Já li resenhas reclamando da narrativa do livro, mas, eu não achei ruim. A leitura fluiu bem, me envolvi tanto com o drama de Janie que li  as 205 páginas em uma noite, e no dia seguinte já comecei a ler o próximo livro da serie. Eu indico Wake para que quiser sair um pouco desses temos tão usados  e conhecer uma serie realmente diferente.

Escolhido o casal do filme Cidade dos Ossos

Os Instrumentos Mortais, uma das minhas series literárias favoritas, vai mesmo virar filme, a escolha do elenco para Cidade dos Ossos já começou. Transformar livros teen de grande sucesso em filmes  já é moda. O responsável por essa modinha é crepúsculo. sei que antes dele já existiam outras produções como Narnia, e Eragon, mas nenhuma foi tão comentada, seja o bem ou mal, como Crepúsculo.  O filme fez tanto sucesso de publico e se tornou um empreendimento muito rentável. Então o pessoal do cinema deve ter pensado, porque não investir em uma história que já tenha um publico formado?  E assim, temos filmes como Eu Sou o Numero Quatro, A Garota da Capa Vermelha, só para citar os mais recentes.

Não estou dizendo que a idéia de ver um livro que eu adoro sendo transferido para as telas seja ruim, muito pelo contrario dá uma tristeza quando a serie acaba e ter um filme inspirado nela nós ajuda a superar. É, só que eu sempre desconfio das  modinhas ou então tudo que é em excesso. O problema é que depois que nós assistimos o filme, sempre que ler o livro as imagens do filme vão estar na nossa mente, então se a adaptação não for boa estraga até mesmo o livro. Um exemplo, no meu caso, foi Crepúsculo, me desculpem os fãs, mas, o filme é muito ruim e depois de assistir já não consigo ler o livro sem lembrar dele. Por isso eu desejo muito que Cidade dos Ossos consiga ser bom o suficiente para não estragar essa serie que gosto tanto. 

Mas, opiniões sobre o mundo literário e do cinema a parte, o que quero falar mesmo é sobre a escolha dos atores do filme Cidade dos Ossos. O casal principal da história, Clary Fray e Jace Wayland, já foram escolhidos. E todo mundo sabe que se o casal não for bem todo o resto do filme desanda, certo. 

Essa é a atriz Lily Collins que interpretara a Clary. Não sei se ela é boa atriz, mas, se parece bastante como imaginei a Clary, é só ficar ruiva. Também a Lily já declarou que  é fã de Instrumentos Mortais  e que atuar nesse filme é uma honra, por isso eu já gostei dela. Ela já tinha aceitado o papel no filme faz algum tempo e está participando das audições para a escolha dos outros atores.

Depois de muitas audições de atores, e muitos debates e discussões dos fã sobre quem seria o Jace perfeito o escolhido foi Jamie Campbell. Para quem não se lembra ou não reconheceu ele foi o Caius em lua Nova, e é o rei Arthur na atual serie  Camelot.  Quando fiquei sabendo que ele seria o Jace eu quase surtei, eu desisti de assistir Camelot porque o Jamie fazia o pior rei Arthur que já vi, não sei se a culpa é dele ou de quem escreveu um personagem tão fraco. Não gostei dá escolha, ele não se parece nada com o Jace, e não estou sozinha nessa, a maior parte dos fãs não gostou. Agora, depois de ler alguns comentários da Cassandra Clare (escritora da serie de livros) dizendo que o Jamie era perfeito para o papel que tanto ela quanto a Lily Collins estavam muito felizes com a escolhe dele, fiquei mais conformada. Afinal, a Cassandra é o gênio por traz de Os Instrumentos Mortais, ela deve saber bem o que está dizendo.

A escolha do restante do elenco continua.  Tudo que posso fazer é esperar, e cruzar os dedos para que tudo de certo.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página