Adaptação de Academia de Vampiros para o cinema


Há dois anos mais ou menos, compartilhei a aqui minha alegria ao saber que a serie literária Academia de Vampiros da escritora Rechelle Mead, teve seus direitos comprados e se tornaria filme. Depois da febre Crepúsculo, muitos romances com a temática sobrenatural jovem apareceram, de todos eles  Academia de Vampiros foi meu favorito. Li todos os livros, e poder curtir um pouco mais da história, mesmo que seja no cinema, é muito bom.

 Agora em março o filme finalmente estreia no Brasil, demorou bastante e a expectativa era grande. Então eu vi o trailer. E bem, estou um pouco arrependida de ter me animado tanto. Parece bobagem, o trailer tem menos de dois minutos  não dá para julgar o filme todo por ele, porem a impressão que ficou foi ruim, algo completamente diferente  da historia apresentada pela escritora. Parece  mais aqueles filmes bem clichês de vampiros com cara de sessão da tarde.Vamos esperar até março e ver se foi só um trailer ruim, ou o filme todo é um desperdício. 




Em compensação uma outra adaptação para o cinema da qual não estava esperando me surpreendeu muito, Divergent, que tambem estreia em março desse ano.  As distopias se tornaram bem populares, e para os fã que estão ansiosos pelo terceiro filme de Jogos Vorazes que só estreia no próximo ano, Divergent é um bom substituto. É baseado na trilogia de mesmo nome da autora Veronica Hoth, eu só li o primeiro livro e achei  interessante. 
Ao contrario de VA o trailer de Divergent mostra que o filme ficou parecido com o livro. Sei que, por diversos motivos,  os filmes não podem reproduzir fielmente as histórias que são inspirados. Mas, tem sempre pontos que devem ser mantidos para o significado da historia não se perder completamente. Pelo Trailer gostei do que fizeram com Divergent. 







Escrever ou não escrever...



Estava visitando o blog e vendo há quanto tempo não publico nada. Minha ultima postagem foi em outubro. Lá se vão meses sem escrever no blog. E não é a primeira vez que isso acontece, sinceramente não acredito que vai ser a ultima. Não sou a pessoa mais disciplinada no mundo, não tenho o costume de anotar tudo, de criar listas e cronogramas. Na verdade é mais fácil esquecer onde anotei algo, do que o recado que deveria lembrar.  Não é que a minha memoria seja ruim, apesar do fato de fingir ter fadiga cronica ser uma especie de piada familiar. Meu problema maior em relação a organização e cumprir metas tem mais a ver com a minha capacidade de me distrair. As ideias vem com muita facilidade e rapidez e da mesma maneira vão embora.

 Esse é um defeito que me prejudica de varias maneiras, por exemplo poderia já ter terminado de escrever meu livro há anos, ao invés disso já comecei vários e ainda não terminei nada.  Paciência. Ao longo dos anos aprendi a controlar e prever varias singularidades da minha personalidade, algumas são mais fáceis do que outras. E em certos casos prefiro nem tentar. Como Clarice disse "Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."

Viu como estou inspirada e cheia de citações hoje. Vai entender porque essas coisas acontecem. E toda essa divagação só para dizer que desisti de participar de gincanas e desafios literários, nunca consigo completar nenhuma, esse ano não vou nem tentar. Até porque quero me preocupar mais em escrever, sabe, tentar  terminar alguma das minhas historias. Não que eu vá deixar de ler, ainda mantenho a minha meta pessoa de 100 livros por ano. Nem se eu quisesse poderia parar de ler, é algo vital para mim. Em algum momento da minha vida quero deixar de ser apenas uma aspirante a escritora e me tornar uma escritora de fato, e só se consegue esse objetivo escrevendo.

Quando eu comecei esse blog, lá no ano de 2009, a minha intenção era somente escrever sobre livros lidos e o universo literário, uma vez que não tinha com quem falar sobre esses assuntos. Nunca tive postagens regulares, porem não abandonei o blog, continuava voltando a escrever. Sei que para manter leitores e seguidores essa não é uma boa estrategia. Mas, como meu objetivo sempre foi desabafar, leitores e comentários me deixam feliz, é como um bônus, porem o objetivo inicial se mantem. 

Príncipe Mecânico - Cassandra Clare




Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres — ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada — foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.
Sinopse retirada do Skoob


Esse livro é o segundo da trilogia As Peças Infernais da escritora Cassandra Clare. Onde ela mostra os Caçadores de Sombras vivendo aventuras na Londres vitoriana, antes mesmo do acordo deles com os seres sobrenaturais. Se você ainda não leu o primeiro livro da serie cuidado com os spoilers. 

Tessa Gray está vivendo no Instituto com os caçadores de sombras, apesar de ser bem acolhida por seus novos amigos, ela não pertence aquele lugar, não sabe nem o que é realmente ou aonde deveria estar. Tudo que ela tinha, família, sonhos, ficou no passado e agora ela precisa descobrir o que fazer da vida. O pessoal do Instituto está investigando o passado de Mortnain para tentar entender as motivações dele, e descobrir qual é a próxima jogada, tudo o que eles sabem do Magistrado é que ele odeia os Caçadores de Sombra e quer Tessa de qualquer maneira.Esse não seria um livro de Cassandra Clare se não houvesse vários mistérios e indecisões, alem de não sabermos a verdadeira natureza de Tessa, ainda os Caçadores esbarram em mais segredos, inclusive descobrimos mais sobre o comportamento bipolar de Will e a força da amizade dele com Jem.

Gostei bem mais desse livro do que o primeiro, não ficou tão focado só na Tessa. Tem todos os elementos de um bom livro,  um pouco de romance, esse quesito não vai decepcionar ninguém, também tem  ação, e boas doses de humor. O mais legal é que a escritora desenvolve melhor a historia dos outros personagens, Sophie, Charlote, Henry, os Lightwood , todos eles ganharam o  espaço devido nesse livro. E cada nova informação é uma peça para resolver o quebra-cabeça da história.

O ritmo da narrativa é muito rápido, a gente começa a ler e quando percebe o livro já acabou e ficamos com cara de bobos nos perguntando como isso é possível. E o final nos deixa com muita vontade de saber como a Cassandra vai resolver isso tudo. Assim como em Instrumentos Mortais tudo só será revelado no ultimo capitulo do ultimo livro, e pior que a sequencia, Princesa Mecânica, ainda não saiu no Brasil.


"Sinto me dissolvendo, desaparecendo no nada, pois se não há alguém no mundo que cuide de você, você realmente existe?"



O Oceano no Fim do Caminho- Neil Gaiman

Antes de comentar sobre esse livro quero deixar claro que sou fã de Neil Gaiman, ainda não li nem metade do todos os trabalhos dele, mas, de tudo o que li até agora só tenho coisas positivas a dizer. Seja escrevendo contos, romances HQs ou episódios do Doctor Who, Neil Gaiman é um escritor talentoso e surpreendente que todos deveriam conhecer.




Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.
Sinopse retirada do Skoob


Nesse livro Neil Gaiman nos apresenta um homem comum, o nome do personagem nem é mencionado, porem, ele guarda em algum lugar, quase perdido na memória,  uma aventura estranha que ocorreu quando tinha apenas 7 anos. Quando as coisas não estão indo bem para o protagonista ele volta para sua casa de infância, e no fim da rua, na fazenda das  Hempstock, as memorias perdidas voltam.  E nos começamos a conhecer a história onde ninguém é o que parece, tudo pode ou não se real.

As Hempstock, avó, mãe, e filha, moram na fazenda no fim do caminho há  tempos, e conhece muito sobre esse mundo e todos os outros. E quando o menino se envolve sem querer  em problemas que estão alem da sua compreensão, e as Hempstock que ele pede ajuda.  Mas, na tentativa de resolver tudo, ele e sua nova amiga, a jovem Lettie Hempstock, complicam mais as coisas. Agora um ser antigo e misterioso esta a solta na vizinhança, e as intenções da criatura são puramente egoístas e vingativas, e eles devem solucionar isso antes que façam muitos estragos no nosso mundo. É muita responsabilidade para um garotinho mimado e solitário. Porem,  ao longo da história ele demostra coragem, e faz de tudo para salvar as pessoas que ama.

Todos os principais acontecimentos da história são apresentados para nós leitores através das lembranças  de infância de um homem de meia idade, então  dá para perceber a saudade da inocência e ilusões perdidas. Alem da duvida do que realmente é verdade, a imaginação das crianças é sempre fértil, principalmente de crianças solitárias, e ninguém mais lembra do que aconteceu alem dele. 

Adorei o livro, li tudo em um dia. A narrativa , com a mistura de elementos fantásticos, parece com uma dessas tentativas desesperadas de lembrar de um sonho impressionante que a gente teve a noite. E as mulheres Hempstock que são uma representação da deusa tripla em suas três faces, a anciã, a mãe, e a jovem, que é uma figura recorrente na mitologia, principalmente na mitologia celta pela qual sou fascinada. Neil Gaiman acertou mais uma vez, e prova porque é um dos meus autores favoritos.



Musica nos livros



Não é de hoje que percebo a boa combinação que os  livros tem a musica. Seja como trilha sonora, tema principal, ou adjetivo de algum personagem ou lugar, a musica sempre marca a sua presença.  Acho que isso é muito natural, afinal não é atoa que nós usamos a expressão Eu não vivo sem musica com frequência. Fazia tempo que queria comentar esse detalhe dos livros, e quando terminei de ler Entre o Agora e o Nunca decidi que era o livro perfeito para  começar.

No momento não vou fazer resenha do livro, e se você ainda não leu tenha cuidado porque pode ter spoilers.

Os personagens principais do livro deixam bem claro o seu gosto musical, a Camryn gosta de musica pop e dançante, enquanto o Andrew é um fã e defensor do rock in roll clássico. E não posso deixar de dizer que o Andrew tem meu respeito, o cara tem um gosto musical excelente, Led Zeppelin, Kansas, Bad Company, Rolling Stone, só o melhor do rock. Ao longo da historia ele se torna uma especie de orientador da Camryn, de varias maneiras, inclusive no gosto musical. Porem, ela também apresenta uma banda  nova a ele, o The Civil Wars. Confesso que a unica musica que tinha ouvido deles era Safe amp Sound com a Taylor  Swift que é tema do filme Jogos Vorazes. 

Selecionei algumas musicas que os personagens escutam e cantam no livro, se esse livro virar filme já vem com uma trilha sonora perfeita.


Ready for love- Bad Company


 Laugh I Nearly Died - Rolling Stone

Dust in the wind- Kansas

Barton Hollow - The Civil Wars




No Limite da Atração- Katie MacGarry



Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola,   se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.
Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada.
Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. No limite da atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar.

Sinopse via Skoob

De todos os novos romances que nos apresentam personagens problemáticos e atormentados, o casal desse livro é o dos que mais sofreram. Em No Limite da Atração conhecemos Echo e Noah, alem de estudarem no mesmo colégio e ter a mesma idade, parece que os dois não podiam ser mais diferentes. Porem, eles tem algo a mais em comum, ha algum tempo atras eles sofreram algo ruim que mudou suas vidas para sempre.

Noah perdeu os pais em um incêndio, foi afastado dos irmãos mais novos, e jogado em um lar adotivo. Nesses lares ele percebe o quanto as pessoas podem ser más e a unica maneira de sair inteiro disso é se tornando mais forte. Apesar de Noah adotar uma postura tipica de bad boy que não liga para nada e não se importa com ninguém, ele trabalha, tem bons amigos e ama os irmão e sonha reconstruir sua família.

Echo perdeu o irmão mais velho, que era o porto seguro dela no meio de uma família complicada. Depois da morte do irmão ela sofreu um acidente que a machucou tanto que bloqueou a memorio do que aconteceu.Ela tem cicatrizes nos braços que não deixam esquecer que algo muito ruim aconteceu. Depois do acidente echo se fechou para o mundo, deixou de lado a popularidade e  vida social, se dedicando apenas aos estudos;

Os dois são obrigados a visitarem uma orientadora do colégio, que tenta fazer Noah e Echo enfrentar seu passado e seguir em frente. Mas, os dois tem seus próprios planos, Noah quer ter os irmãos de volta e Echo quer descobri a parte perdida de sua memoria. Assim, eles que mal se olhavam  se unem para alcançar seus objetivos. A relação que se desenvolve entre eles faz com que vejam alem dos esterótipos.

Gostei muito desse livro, a maneira que a historia se desenvolve e os problemas que os protagonistas precisam enfrenta. A narrativa é feita pelos dois, eu gosto desse recurso nos livros que nos permite ter uma ideia melhor dos sentimentos e pensamentos dos envolvidos.

"O pior tipo de choro não é aquele que todos podem ver - a lamúria nas esquinas, o rasgar de roupas. Não, o pior tipo acontece quando sua alma derrama lágrimas e não importa o que você faça, não há maneira de confortá-la. Uma parte murcha e se torna uma cicatriz na parte da sua alma que sobreviveu. Para pessoas como eu e Echo, nossas almas contém mais cicatrizes que vida."

Então...

Sei que não posto nada ha meses. Aconteceu tanta coisa nesse tempo, e para falar a verdade, desanimei um pouco. Mas, eu gosto muito do blog, de saber que tenho esse espaço aberto para escrever sobre  coisas que gosto, e principalmente sobre livros, que são a minha paixão. Uma das coisas que me afastaram do blog foi a mudança, recentemente me mudei para uma nova cidade, agora eu moro em Lucas do Rio Verde em Mato Grosso. Até gostaria de saber de vocês se  tem alguém que mora aqui ou por perto com quem eu posso fazer amizades e trocar livros? Se tiver me deixem um recado aqui. 

Apesar de não ter comparecido no blog, em nenhum momento abandonei os livros. Vocês podem ver pelo tanto de livros que li nos meses passados, já atualizei minha lista de lidos em 2013. Esse ano vou chegar fácil a meta de 100 livros lidos. E, enquanto mais livros leio, mais eu quero ler.É como brigadeiro ou ouvir musica, uma compulsão. 

Vou fazer o possível para deixar de ler, e escrever mais, isso vale para as postagens do blog e também para os meus projetos literários. 
Até mais!


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página