Selinho

Recebi este Selinho super fofo da Belle do blog Borboletrinhas:
 Obrigada Belle!

As regras para que recebe o selinho são as seguintes:


1. Postar no Blog e dizer quem indicou;

2. Indicar 5 blogs para receber o selinho e avisar sobre a indicação;
Blogs indicados:
3. Responder a pergunta Por que seu Blog  merece ganhar flores?
Porque esse blog é muito importante para mim, e cada coisa que faço nele é com muito carinho e dedicação, pois é uma parte minha que divido com todos os meus queridos visitantes.


Um pouco de literatura brasileira- Parte II


Continuando a postagem sobre bons livros nacionais...



Olhai os lírios do campo narra a história de Eugênio Fontes, homem de origem humilde  que, com muito sacrifício, se forma em medicina. Na faculdade apaixona-se por Olívia, mas casa-se  com a rica Eunice, por interesse. Nesse percurso, porem é obrigado a virar as costas a família, deixar de lado antigos ideais e a mulher que realmente ama. Mas mesmo vivendo como rico e participando da alta sociedade como sonhava, Eugênio não era feliz. Ele sentia-se inferior aos outros, inútil e sem propósitos.


Eu gosto muito desse livro, a narrativa é bem detalhista mostrando bem o psicológico do protagonista.  A história é atemporal, um menino pobre e cheio de complexos que cresce pensando que o dinheiro e posição social resolvem tudo e são as coisas que mais importam, só com o passar do tempo, com muitas decepções e sofrimentos, ele aprende que as melhores coisas da vida, aquilo que realmente importa são as mais simples. 
É muito bom mesmo.


Um pouco sobre o autor:
Érico Veríssimo é um dos maiores nomes da moderna ficção brasileira, Erico Verissimo nasceu em Cruz Alta, Rio Grande do Sul, em 1905. Filho de família tradicional, mas arruinada financeiramente, teve de exercer diversas atividades profissionais, desde ajudante de comércio e bancário até balconista de farmácia e desenhista de imprensa. Em 1930, tornou-se secretário do departamento editorial da Livraria do Globo, em Porto Alegre, para onde se transferiu definitivamente. Em 1932, Erico Verissimo iniciou sua carreira literária, lançando os Fantoches, uma coletânea de contos. Já no ano seguinte, surgiu seu romance de estréia, Clarissa. Desde então, passou a desenvolver intensa atividade literária. Entre suas obras mais conhecidas estão, Olhai os Lírios do CampoCaminhos Cruzados ,Gato Preto em Campo de Neve , O Tempo e o Vento (trilogia escrita entre 1949 e 1961), O Senhor Embaixador Incidente em Antares.






Um pouco de literatura brasileira

A nossa literatura está repleta de bons livros, mas as vezes nós só valorizamos o que vem do exterior. Eu mesma, ultimamente  não li nenhum livro brasileiro. Então decide fazer uma postagem sobre um livro nacional que eu tivesse lido e gostado muito. O problema é que eu não conseguia me decidir entre tantas opções. Então pensei porque tenho que escolher um ou fazer somente uma postagem, vou falar de vários,todos que poder.

Para começar escolhi um clássico brasileiro Dom Casmurro de Machado de Assis:


Dom Casmurro foi publicado em 1900 e é um dos romance mais conhecidos de Machado. Narra em primeira pessoa a estória de Bentinho que, ao longo do tempo, vai se fechando em si mesmo e passa a ser conhecido como Dom Casmurro, e decide escrever um romance contando sua história de vida. Órfão de pai, criado com  pela mãe (D. Glória), protegido do mundo pelo círculo doméstico e familiar , Bentinho é destinado se tornar padre, para cumprimento a uma antiga promessa de sua mãe. Mas, a vida do seminário não o atrai, e tambem ele começa um namoro com Capitu, filha dos vizinhos.  D. Glória sofre com a idéia de separar-se do filho único, interno no seminário e ele escapa de cumprir a promessa.
Correm os anos e com eles o amor de Bentinho e Capitu. Entre o namoro e o casamento, Bentinho se forma em Direito e estreita a sua amizade com um ex-colega de seminário, Escobar, que acaba se casando com Sancha, amiga de Capitu.
Do casamento de Bentinho e Capitu nasce Ezequiel. Escobar morre e, durante seu enterro, Bentinho julga estranha a forma qual Capitu contempla o cadáver. A partir daí, os ciúmes vão aumentando e precipita-se a crise. Á medida que cresce, Ezequiel se torna cada vez mais parecido com Escobar, e Bentinho se torna ainda mais ciumento e paranóico. 
Se Capitu traiu ou não Bentinho é uma pergunta que todos se fazem ao ler o livro, e podem até julgar por si mesmos pelos fatos apresentados por bentinho ao longo da sua narrativa, mas ter certeza ninguém nunca terá. 
Dom casmurro é com certeza um dos livros mais importante da literatura brasileira. Ele é constantimente lembrado nas provas de vestibular, e foi adaptado diversas vezes, para o cinema e televisão. 


Um pouco sobre o autor:

Joaquim Maria Machado de Assis  nasceu no Rio de Janeiro dia 21 de junho de 1839, e — faleceu na mesma cidade dia 29 de setembro de 1908.Foi um poetaromancistadramaturgocontistajornalistacronista eteatrólogo brasileiro, considerado como o maior nome da literatura brasileira. Ele escreveu nove romances e nove peças teatrais, 200 contos, cinco coletâneas de poemas e sonetos, e mais de 600crônicas, Machado também  assumiu cargos públicos ao longo de toda sua vida, passando peloMinistério da Indústria, Viação e Obras PúblicasMinistério do Comércio e pelo Ministério das Obras Públicas. Entre suas obras mais conhecidas estão: Dom Casmurro, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Helena e Quincas Borba.


O Símbolo Perdido

Olá a todos!


Acabei de ler o novo livro do Dan Browm, O Símbolo Perdido.
Depois do Código da Vinci  eu estava morrendo de vontade de ler esse livro. E por isso fiquei muito feliz quando ganhei  no amigo secreto que participei do desafio Literário  (até hoje não sei quem me presenteou).


Em O Símbolo Perdido  Robert Langdon se envolve (involuntáriamente) em mais uma aventura.Toda a história se passa em um periodo de doze horas, na cidade de Washington capital dos Estados Unidos, que foi construída pelos mestres Maçons e é repleta de monumentos históricos, lendas e mistérios. Nessa nova aventura, Dan Browm  deixam a igreja um pouco de lado e nos revela mais sobre a moçonaria, seus rituais, crenças e, como não podia faltar, muitos simbolos. A narrativa segue a mesma linha dos dois primeiros livros (Anjos e Demonios, e Codigo da vici), com doses de suspense que te obrigam a continuar lendo, O autor escreve de uma maneira que prende o leitor do inicio ao fim, apesar de ser um livro de 489 págimas.
O livro ficou dentro do padrão que eu esperava, melhor que o primeiro e tão bom quanto o segundo. Mistérios e segredos antigos sempre prendem a minha atenção, e apesar de toda a história se passar apenas em doze horas não falta aventuras e reviravoltas, e  está repleta de códigos e símbolos, principalmente maçons. Sabe, eu estou começando a pensar que a profissão de simbologista é a mais perigosa do mundo, o Robert Lagdon se passa por situações difíceis, sem nunca ter feito nada a ninguém, ajuda um monte de gente e no final ele não ganha nada, além de mais conhecimento é claro, o vida difícil de professor, simbologista e personagem do Dan Brown.

Agora é só esperar pelo filme...


Sinopse:


Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas.
Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo.
Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.






Desafio Literario 2010- Janeiro

Eu já comentei aqui no blog que estou participando do Desafio Literário 2010 proposto pelo blog Romance Gracinha. O desafio começou nesse mês de janeiro, com o tema romance de banca. A primeira parte do desafio eu já cumpri, que é ler o livro escolhido, agora vou realizar a segunda parte, que é fazer meus comentários sobre o livro lido e sobre essa experiencia literária.

O livro que escolhi para janeiro foi A maldição de Deborah Simmons.

Quando eu vi que teria que ler um romance de banca confesso que fiquei preocupada. Até então nunca tinha lido nada do genero, sempre achei que fossem livros chatos e sem conteudo ( puro Preconceito rotular qualquer coisa sem conhecer, justo eu que abomino qualquer tipo de preconceito, sinto até vergonha). Eu estava errada! Devem existir livros de banca chatos sim, como em qualquer outro genero, mas, esse livro não era chato, pelo contrario eu li ele (190 pág.) em dois dias. Fui contagiada pela narrativa do livro, que apezar de ser bem simples conseguia manter um clima de mistério e curiosidade do tipo que faz querer chegar logo no fim do livro. É uma leitura descomplicada, que não é cansativo ou enjuativo (como eu imaginava). E, quando tiver uma folga na minha lista de livros para ler (ou simplesmente tiver vontade) vou ler outros romances de banca.  

  Agora um pouco sobre a história do livro, sem aprofundar muito pra não tirar a graça de quem for ler:
Quando tinha apenas quatorze anos Claire conheceu Justin. Naquela época ela era uma menina alegre e sonhadora, ele já era um homem com uma reputação bem ruim. Eles eram só amigos, mas o tempo foi passando e essa amizade poderia manchar a reputação de claire, então seu pai tentou forçar um casamento, e não conseguiu. Justin foi embora magoando os sentimentos da mocinha. Algum tempo depois, claire já com dezoito anos, vai para a capital ,onde mora Justin, para ser apresentada a sociedade (ou seja encontrar um bom marido). O pai dela pretende casa-la com um homem que Justin não considera adequado para ela, e para impedir esse casamento infeliz ele se casa com ela ( na verdade ele está apaixonado mas não quer adimitir). Só que, quem precisa mesmo de ajuda não é a mocinha, é nada verdade o heroí, ele sofre com algo que fez no passado, e que voltou para assombra- lo no presente. E juntos eles tentam superar as desavenças que os separaram no passado e construir um futuro  feliz.  

Então, minha conclusão sobre o desafio desse mês de janeiro  é que foi uma experiencia muito interessante porque me livrei de uma opinião antiga e sem fundamento percebendo que os romances de banca valem a pena ser lidos mesmo que talves não acrescentem conhecimentos mais substancais o livro por si só já é uma leitura divertida e agradável.





A Abadia de Northanger

Mais uma vez estou aqui para falar de um livro de Jane Austen.O livro da vez é A Abadia de Northanger.



A jovem Catarine Morland vai para Bath para ser apresentada a sociedade e com a intenção de encontrar um herói como nos livros que ela tanto gosta. Em Bath ela vai a festas e conhece outros jovens , entre eles está Henrique Tilney por quem se apaixona. Catarina tem apenas 17 anos, é uma moça muito ingênua que adora romances, ela tem uma imaginação bem fértil, mas muitas vezes não percebe as coisas que realmente estão acontecendo ao seu redor.


Catarina se torna amiga de Eleanor que irmã de Henrique, e é convidada para ficar com a amiga por uns dias na Abadia de Northanger onde moram os Tilney. Lá nesse lugar antigo e aparentemente assustador Catarina fantasia varias historias na tentativa de entender o que acontece os Tilney e com a abadia. E, ainda, em meio todas as histórias imaginárias, a jovem tenta descobrir se seu amor por Henrique é correspondido.

Nesse livro, Jane Austen acrescenta um pouco de suspense e mistério , que lembra os romances góticos. Catarina Morland é a mais boba e ingênua das heroínas da escritora, ela acredita em todo mundo, e nem percebe coisas simples e claras, como o envolvimento de sua amiga Izabel Thorpe com o seu irmão ou o interesse que João Thorpe tem por ela, ou então, Todo o tempo que ela passa na Abadia imaginando coisas se assustando e se preocupando com coisas que não existiam sem perceber o que estava debaixo do seu nariz. Mas, Catarina tem uma desculpa para a ingenuidades e credulidade que apresenta ao longo da história, ela é muito jovem e até sua viajem para Bath todo as suas relações se resumiam na sua família e alguns vizinhos, assim em uma sociedade tão reduzida ela não conhecia a falsidade, a deslealdade e todos os outros subterfúgios que as pessoas usam para alcançar seus objetivos.

No final da história com certeza Catarina aprendeu a prestar mais atenção nas verdadeiras intenções das pessoas e não ser tão sonhadora. E, é claro ela teve o final feliz, e foi merecido, porque apesar de ser a mais ingênua das heroínas de Jane Austen, ela é também essencialmente boa e a mais sincera e verdadeira.


Musica da semana


A música dessa semana reflete a minha crise passageira de melancolia, mas tenho certeza que em algum momento vocês também se perguntaram se fizeram as coisas do jeito e da medida certa.
Uma das coisas mais difíceis da vida é perceber que ela não tem receita ou manual de instrução e nós corremos o risco de errar o tempo todo...

Epitáfio

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Devia ter visto o sol se pôr

Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Queria ter aceitado a vida como ela é
A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos

(Titãs)


Belas Maldições

Hoje vou comentar sobre um livro que li em dezembro, por isso ele não entra no desafio de ler 50 livros em 2010, mas eu achei tão interessante que precisava compartilhar mais essa experiencia literária. 


O livro Belas Maldições escrito por Neil Gaiman e Terry Pratchett apresenta como tema central o Apocalipse. Mas, pode ter certeza que um Apoalipse como voces nunca viram antes no cinema ou nos livros, não tem ondas gigantes que engolem a terra ou chuva de fogo. Existe, nesse livro, seres sobrenaturais que parecem tão humanos quanto nós, exemplo, um anjo que tem um sebo, um demonio que gosta de tecnologia é fã da banda Queen e um anticristo superfofo que gosta de histórias fantásticas e quer salvar as baléias e as arvóres. A história é assim: des de a criação da terra, o anjo Aziraphale e o demonio Crowley (que tambem era a serpente do paraíso) vivem pacificamente entre nós. O problema é que o fim do mundo vai acontecer e já tem até data e hora marcada. Quem trará o apocalipse será o Anticristo,  o próprio filho do inferno, mas que é igualzinho a qualque criança normal, e des de recém nascido foi criado na terra por uma familia humana. Nem Aziraphale e nem Crowley querem que o mundo acabe e se unem para tentar evitar o apocalipse. Essa história inclui outros personagens que estão direta ou indiretamente envolvidos com o fim do mundo, como a jovem bruxa Anathema Device que é descendente da profetiza Agnes Nutter que há muito tempo previo toda essa história, um caçador de bruxas mal humarado e seu aprendiz que não entende nada de bruxas (pra ser sincero nem dos dois entende), um demonio do mal, algumas crianças normais e claro, como não podia faltar, os cavaleiros do apocalipse.
Belas Maldições  é um livro super engraçado  que satiriza vários elementos relacionados com essa antigo assunto " o fim do mundo e a guerra entre o bem e o mal". Além disso, eu achei    esse livro interessante porque os autores ao escreverem seus personagens, seja eles sobrenaturais ou humanos,  refletem nossos próprios medos, indecisões e tambem os problemas que enfrentamos o tempo todo no mundo. pensando bem, é como dizer que a luta entre o bem e o mal acontece todo dia, dentro de nós, e ainda seguindo essa linha de raciocinio,  o fim do mundo já começou des do dia em que foi criado e está acontecendo aos poucos ( espero que bem aos poucos mesmo), e na verdade tudo só depende de cada um nós.

  Parece assustador né? más não é, pelo contrário é uma leitura agradável, envolvente  e divertida. E com certeza Belas Maldições é um ótimo livro e vale muito a pena ser lido. 

Musica da semana

Vou inaugurar agora uma nova seção aqui no blog, ela se chama Música da semana. Toda semana vou postar a letra de uma (boa) música, se for musica internacional vou colocar a tradução dela. 

Para começar bem, essa semana a música escolhida  foi Imagine de Jhon Lennon, ela tem tudo haver com conscientização para um novo ano:

Imagine

 Imagine que não há nenhum céu
É fácil se você tenta
Nenhum inferno debaixo de nós
Sobre nós só céu

Imagine todas as pessoas
Vivendo para hoje. . .
Imagine que não há nenhum país
Não é duro fazer
Nada para matar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo em paz. . .

Imagine nenhuma possessão
Eu desejo saber se você pode
Nenhuma necessidade para cobiça ou fome
E fraternidade entre os homem
Imagine todas as pessoas
Compartilhando todo o mundo. . .

Você pode dizer que eu sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu espero em algum dia
Que você se junte a nós
E o mundo será um só





Livros para 2010

Eh, 2009 já foi embora. O que fica são as coisas que construimos e o aprendizado que tiramos das situações, boas ou ruins, que passamos. E 2010 como será?
Para responder essa pergunta só se eu tivesse bola de cristal, mas como ainda não tenho, tudo que posso fazer é planejar e tentar seguir meus planos (isso é bem mais dificil do que parece). Mas, de uma coisa eu tenho certeza, em 2010 eu pretendo ler muito e aumentar a minha biblioteca.
Eu estou participando do Desafio Literário  2010 que consiste em ler um livro por mês, eu já escolhi os livros em dezembro do ano passado, com direito a lista reserva  (a lista já foi publicada aqui no blog), o desafio começa agora em janeiro e estou cheia de espectativas positivas.



O outro projeto que estou participando é Ler 50 livros em 2010. O ano passando foi bastante corrido e confesso que não li nem metade dos livros que queria. Mas esse ano vou poder ler todos os livros da minha lista gigante de leitura, e vou conseguir ler no mínimo  50 livros. Por uma questão de organização,   de comprovação de que estou lendo todos os livros, e claro para poder compartilhar com vocês todas as minhas opiniões sobre os livros,  vou fazer uma resenha aqui no blog  de cada livro lido esse ano.  


Então é isso, muitos livros de diversos estilos que garantem muitas experiências literárias  para 2010.
Parece que vai ser um bom ano.





Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página