A Abadia de Northanger

Mais uma vez estou aqui para falar de um livro de Jane Austen.O livro da vez é A Abadia de Northanger.



A jovem Catarine Morland vai para Bath para ser apresentada a sociedade e com a intenção de encontrar um herói como nos livros que ela tanto gosta. Em Bath ela vai a festas e conhece outros jovens , entre eles está Henrique Tilney por quem se apaixona. Catarina tem apenas 17 anos, é uma moça muito ingênua que adora romances, ela tem uma imaginação bem fértil, mas muitas vezes não percebe as coisas que realmente estão acontecendo ao seu redor.


Catarina se torna amiga de Eleanor que irmã de Henrique, e é convidada para ficar com a amiga por uns dias na Abadia de Northanger onde moram os Tilney. Lá nesse lugar antigo e aparentemente assustador Catarina fantasia varias historias na tentativa de entender o que acontece os Tilney e com a abadia. E, ainda, em meio todas as histórias imaginárias, a jovem tenta descobrir se seu amor por Henrique é correspondido.

Nesse livro, Jane Austen acrescenta um pouco de suspense e mistério , que lembra os romances góticos. Catarina Morland é a mais boba e ingênua das heroínas da escritora, ela acredita em todo mundo, e nem percebe coisas simples e claras, como o envolvimento de sua amiga Izabel Thorpe com o seu irmão ou o interesse que João Thorpe tem por ela, ou então, Todo o tempo que ela passa na Abadia imaginando coisas se assustando e se preocupando com coisas que não existiam sem perceber o que estava debaixo do seu nariz. Mas, Catarina tem uma desculpa para a ingenuidades e credulidade que apresenta ao longo da história, ela é muito jovem e até sua viajem para Bath todo as suas relações se resumiam na sua família e alguns vizinhos, assim em uma sociedade tão reduzida ela não conhecia a falsidade, a deslealdade e todos os outros subterfúgios que as pessoas usam para alcançar seus objetivos.

No final da história com certeza Catarina aprendeu a prestar mais atenção nas verdadeiras intenções das pessoas e não ser tão sonhadora. E, é claro ela teve o final feliz, e foi merecido, porque apesar de ser a mais ingênua das heroínas de Jane Austen, ela é também essencialmente boa e a mais sincera e verdadeira.


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Devo confessar que ainda não li nenhum livro da Jane Austen... Imperdoável, eu sei!!! rsrsrsrsrsrs
    Mas vou tentar remediar, é claro! rsrsrsr
    Beijos,
    náh

    ResponderExcluir
  2. Estamos justamente discutindo esse livro lá no JASBRA.

    ADriana

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página